terça-feira, 2 de abril de 2013

Serviço de saúde na Austrália

Eu estava pra escrever esse post há um tempo, mas sempre esquecia.

Uma grande preocupação minha e do Thiago era com o serviço médico aqui na Austrália, sabíamos que era completamente diferente do Brasil e tínhamos receio de como iríamos nos adaptar. Mas vamos por parte.

A Austrália possui um serviço público de saúde (para cidadãos e residentes) chamado Medicare (cujo site agora foi incorporado ao “Departamento de Serviços Humanos” do governo australiano - http://www.humanservices.gov.au), que funciona muito bem e em nada se compara ao serviço público no Brasil. Tanto que muita gente aqui nem faz um plano privado, mesmo podendo pagar por ele. Aproveito aqui pra ressaltar que tudo que falo abaixo se aplica unicamente aos que possuem visto permanente, não sei os detalhes de como funciona praqueles com visto de estudante, work/holiday visa, sponsored visa, etc.

Assim que chegamos na Austrália fomos no Medicare fazer nosso cadastro e em poucos dias eles enviam a carteirinha com seu número pelo correio. Eu e Thiago acabamos fazendo um cadastro só pros dois, recebemos o mesmo número e apenas um dígito verificador que nos diferencia. Com esse número vc já fica apto a usufruir do serviço de saúde.

Funciona basicamente assim: se for uma emergência, basta ir num dos hospitais públicos (detalhe que aqui até onde eu sei não existe hospital privado para atendimento emergencial, com plano de saúde ou não vc é atendido num hospital público e usando a carteirinha do Medicare). Eu tive uma experiência nos primeiros seis meses quando torci o dedo e fui checar se não havia fratura. Devo dizer que nesse dia achei a experiência muito ruim, fui no Royal Prince Alfred, que fica no bairro de Newtown, e fiquei 4 horas esperando pra ser atendida, mesmo com a emergência vazia. Pelo que tenho lido os hospitais tem sofrido com a falta de médicos e corte de verbas, e demoras acontecem mesmo. Em alguns hospitais, como o de Bankstown (que foi eleito um dos piores do país), a espera pode chegar a 25 horas!

Claro que isso só aconteceu pois meu caso não era tão emergencial. Assim que vc chega no hospital vc passa por um setor de triagem onde uma enfermeira avalia (por alto, claro) o seu caso e o grau de emergência, e só então vc vai pra sala de espera. Se o caso for mais urgente, vc é atendido mais rápido.

Me lembro que quando cheguei no hospital informei que tinha plano de saúde privado, na esperança de isso fazer eu ser atendida mais rápido. Mas não, isso não muda nada, pois o atendimento emergencial é coberto pelo Medicare. E aqui vai uma diferença gritante pro sistema brasileiro: o plano privado só cobre o que o Medicare não cobre. Se o Medicare cobre, vc não tem a opção de acionar o plano privado.

Agora vamos ao plano privado: eu e Thiago optamos pelo Medibank, que é bem popular por aqui. Nos primeiros meses pagamos uma franquia bem básica, se não me engano custava uns $150 (o casal), e depois quando nós dois conseguimos emprego aumentamos a cobertura e hoje pagamos uns $230 (o casal). Bem mais barato que no Brasil, mas a cobertura é muito diferente. Vamos às diferenças:

- Se vc precisa de um médico, não vai a um especialista, como ocorre no Brasil. Vai no GP (general practitioner), que vai te avaliar e, se ele achar que é o caso, te indicar para um especialista. Só com essa carta de referencia do GP é que vc pode ir no especialista. No meu caso eu fui num GP indicado por um amigo brasileiro e gostei de cara. Ele é um fofo, fala português - apesar de ser australiano ele adora o Brasil e tem um namorado brasileiro, com isso fala português praticamente fluente - o que me ajudou na tradução dos termos médicos. Se bem que tenho descoberto que muitos remédios que já tomei no Brasil tem o mesmo nome aqui, inclusive anticoncepcional (trouxe dezenas de cartelas do Brasil pra descobrir que a marca que tomo existe aqui e com o mesmo nome!), então não tem sido tão difícil quanto eu pensava. Tudo que eu pedi de indicação de especialista ele me deu sem questionar muito, mas não sei se é sempre fácil assim. rs

- Muitos GPs trabalham no esquema “bulk billed”, ou seja, a consulta é integralmente coberta pelo Medicare e vc não precisa pagar o excesso. Outros, como o meu, cobram um pouco acima da tabela do Medicare e vc tem que pagar o excesso, o que no meu caso significou apenas uns $15.

- Com o referral (carta de referencia do GP) na mão, vc pode marcar o especialista (dermatologista, cardiologista, etc). As duas tentativas que fiz, pra continuar um tratamento que fazia no Brasil, me levaram a descobrir que a consulta com o especialista é bem mais cara (no meu caso variou de $250 a $500 a consulta, mas acredito que mude muito dependendo do médico) e apenas algo em torno de $70 é coberto pelo Medicare. Outro ponto que achei um complicador é que não tem tantos especialistas assim pra vc “pesquisar preço”. Meu GP indicou um na carta, tentei achar outros e dermatologista, por exemplo, só encontrei uns 10 na região central de Sydney. Levando em conta que preciso marcar no Centro por causa do trabalho, e num horário muito cedo ou na hora do almoço, minhas opções se reduziram a 2.

Nesse ponto eu pensei: ok, a consulta é cara, mas como tenho plano privado ele vai cobrir a diferença. Ledo engano... Como me explicou um atendente do plano, o sistema de saúde privado na Austrália não é pra esse tipo de cobertura. Eles cobrem o que o Medicare não cobre: dentista, acupuntura, internação em hospital, cirurgias eletivas. O que o Medicare cobre (atendimento emergencial, consultas medicas, exames) vc tem que pagar o excesso, sem escapatória. Confesso que me irritou muito um pouco isso, afinal pago o plano privado pra que se não posso usar? Mas como diz o Thiago, se vc precisar de uma cirurgia não emergencial e não tiver plano privado, vai ter que entrar na longa fila de espera do Medicare. Aqui no trabalho mesmo a manager teve pedra na vesícula e o médico decidiu que extrair a vesícula era a única forma de parar as dores, mas como ela só tem Medicare, a lista de espera pra essa cirurgia era de 6 meses. Aí já me faz repensar a revolta contra o plano privado...rs

- Se o especialista – ou o GP – te passar algum exame, como o de sangue, ultra, etc (o que dizem não é tão simples como eles fazem no Brasil, aqui a cultura é de quanto menos exames melhor) vc vai num dos laboratórios, paga e o Medicare (sempre ele) reembolsa integral ou parcialmente, depende do exame. Exames de sangue, ultra mais basica, raio-x costumam ser reembolsados integralmente.

- Ponto positivo: quando levei um recibo de exame para reembolso, fui atendida no Medicare rápido e em menos de 5 minutos saí de lá com um comprovante de depósito que seria feito na minha conta em 24 horas (e foi). No caso de consulta médica, a própria clinica normalmente faz a solicitação de reembolso e em 24hrs o dinheiro bate na sua conta (previamente cadastrada no Medicare). Tudo rápido, fácil e sem maiores burocracias.

- Tirando a minha revolta inicial com o novo sistema que terei que me adaptar, quando efetivamente recomecei a fazer o tratamento que tinha parado no Brasil o balanço tem sido bem positivo. O especialista me pareceu super experiente, a consulta inicial durou 1 hora, com ele tendo até a paciência de ver meus exames feitos no Brasil (mesmo em português, sem tradução... rs Eu até sugeri que ele visse só as imagens, mas ele foi bem audacioso e se aventurou nos laudos, só parando pra perguntar se “direito” significava “right or left”. haha). Nos exames que fiz os tecnicos foram até mais minuciosos que nos que tinha feito no Brasil, e por enquanto não tive nenhum problema com a tradução de sintomas, remédios, etc, o que era minha preocupação (viva a globalização!).

- Detalhe importante: numa tentativa de desafogar o Medicare, o governo australiano vem tentando estimular as pessoas (principalmente aquelas com condição social melhor) a pagar um plano privado. Assim, foi criada uma taxa para aqueles que não contratam um plano privado antes dos 30 anos, ou no caso de imigrantes que ja passaram dessa idade, ate 1 ano apos a chegada no pais. Como é explicado nesse site (http://privatehealth.com.au/how-you-can-save/lifetime-health-cover/): “Fundamentally, if you join Private Healthcare at a young age you benefit more as the years go by. And if you don’t take out Private Hospital Cover by your 31st birthday, you pay a 2% loading for every year you are aged over 30.”

A parte ruim disso tudo é que, claro, vc acaba sempre pagando algum excesso nas consultas e exames. Em compensação paga muito menos mensalmente pelo plano de saúde e muitos tratamentos são mais baratos que os equivalentes no Brasil. No final eu até mudei de opinião e estou preferindo o sistema daqui.

Quem teve a coragem e paciência de ler até aqui, desculpe o texto imenso, mas o assunto realmente rende bastante.

14 comentários:

  1. Gostei da explicação rsrsr
    Tenho parentes que moram aí e é assim que funciona mesmo. Graças a Deus eles são saudáveis!
    Felicidades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jô

      Então, no fundo acho que aqui é até melhor que o sistema brasileiro, pois pelo menos há saúde pública de qualidade para todos. Mas que muitas vezes a adaptação causa estranheza, isso causa. :-)

      Abs,
      Denise

      Excluir
  2. Denise, você teria os dados do médico para me passar?

    Obrigada

    ResponderExcluir
  3. Oi Nina,

    Nem me lembro mais do q escrevi nesse post... rs. Vc quer i contato do médico q fala português, né? O que eu ia era o Dr Matthew Shields - tel: (02) 93316151. Ele atende em Darlinghurst (colado na City).

    Tem também 2 médicas (GP) que apesar de não serem brasileiras falam português e a comunidade brasileira vai em massa nelas. Eu nunca fui, então não sei se são boas. De cabeça só me lembro de uma delas: Dra Yvonne Thomsen - tel: (02) 95509674. Ela atende no bairro de Petersham.

    ResponderExcluir
  4. Ola, sera que poderia fazer a gentileza de explicar com funciona , member first e cover 400 por exemplo que oferecem os extras dos plans de saude aqui.por favor.
    Nunca estudei ingles e Moro aqui a 7 anos, Mais meu ingles e terrivel, e nao consigo entender esse extra e limited dos planks de saude.tenho o bupa hospital cover, Mais queia adicionar dentista e eles falam de 80% de disconto e tipo 400 de limite por ano e participante e nao consegui entender e Tenho que decidi.por favor se puder me ajude.obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jac,

      O plano de saúde aqui funciona como co-participacao. Os extras, tipo dentista, acupuntura, quiropratra, etc, vc paga uma parte depende do plano que escolher. Esse 80% que vc menciona significa que a cada consulta no dentista o plano vai pagar 80% do valor da consulta e vc vai pagar os 20% restante. O limite de $400 por ano significa que quando o plano tiver pago $400 da parte dele, vc vai ter que passar a pagar integral nas consultas seguintes. P.ex.: vc foi no dentista e custou $400. O plano vai cobrir $320 e vc paga $80 (o chamado pit of pocket). Ai no mês seguinte no mesmo ano fiscal vc vai de novo ao dentista e custa $400. Dessa vez o plano só vai cobrir $80 (pois alcançou o limite de $400 por ano) e vc vai ter que pagar os $320 restantes.
      Normalmente essa co-participacao é só pros extras, pra parte hospitalar o plano cobre 100%. Vc só tem que ficar ligada pois a maioria dos planos têm franquia pra cobertura hospitalar. Ou seja, se a sua franquia for $200, qd vc usar o hospital vc tem que pagar ao plano esse valor pra eles cobrirem o resto. Essa franquia é anual, então se vc pagou uma vez se usar o hospital de novo no mesmo ano fiscal não paga.
      Tem como fazer plano sem essa co-participação (com o plano cobrindo 100%) e sem essa franquia, mas vai sair bem mais caro por mês.
      Espero ter ajudado.

      Excluir
  5. Olá Denise, estou indo como minha noiva para Austrália como estudantes e ela acabou de fazer uma cirurgia para retirada de um câncer na tireoide. Nossa dúvida é sobre o acompanhamento e os exames pois no início terão que ser feitos no período de três meses.
    Gostaria de saber o que fazer no nosso caso, pois nosso visto será de estudante?

    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Felipe,

      Visto de estudante não dá direito ao sistema público de saúde australiano, a cobertura de gastos médicos é feita pelo plano de saúde obrigatório que todo estudante tem que contratar. Agora, o que o plan vai cobrir ou não vai depender do que vc negociar com eles. Vc tem que ver isso com a agência pela qual vc comprou o curso ou diretamente com o seguro de saúde que vc contratou.

      Abs
      Denise

      Excluir
  6. Oi Denise
    Fiquei muito feliz de encontrar seu blog. A princípio estou indo para a Austrália e tenho tido muita dificuldade com uma série de coisas relativas ao Visto. Mas agora o que está pegando é a escolha do Plano de Saúde. Algumas dicas que vc deu aqui acho que serão importantes. Vc tem disponibilidade para me ajudar agora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria. Vc vai vir pra cá com que visto? Se for o de estudante, o plano de saúde funciona de forma diferente e eu não tenho muita informação pra te passar. A minha experiência foi toda com o visto de residência. De qualquer forma fica a vontade pra me escrever um e-mail se quiser (o endereço tá no canto direito do blog).

      Excluir
  7. Oi Denise
    Já consegui as informações, obrigada

    ResponderExcluir
  8. Oi Denise, td bem? Estou avaliando a possibilidade de ir morar na Austrália como residente e tenho um filho com paralisia cerebral. Você sabe se o plano de saúde têm cobertura para fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiólogo,equoterapia, hidroterapia e musicoterapia? Muito obrigada, Leticia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leticia. Vai depender do plano e da cobertura que vc contratar. Entra no site dos planos mais famosos (Medibank e Bupa) e vê a cobertura deles.
      Lembrando que se vc vier como residente vc terá acesso ao Medicare (o plano de saúde do governo) que tem cobertura pra disability. Aliás, o governo tem vários programas gratuitos pra pessoas com disabilities, dá uma pesquisada na internet que vc acha.
      Boa sorte!

      Excluir
  9. Oi Denise, td bem? Estou avaliando a possibilidade de ir morar na Austrália como residente e tenho um filho com paralisia cerebral. Você sabe se o plano de saúde têm cobertura para fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiólogo,equoterapia, hidroterapia e musicoterapia? Muito obrigada, Leticia

    ResponderExcluir